Quando devo possuir investimentos de renda variável em minha cesta de investimentos?

3---Quando-devo-possuir-investimentos-de-renda-variável--em-minha-cesta-de-investimentosblog-grande

No cenário atual, com a taxa Selic em 6,5% ao ano (equivalente a 0,53% ao mês) e a projeção para que ela chegue em de 8,5% a.a. até o fim de 2019 (0,68% a.m.), os investidores brasileiros sentem saudades daquela época em que os investimentos de renda fixa pós-fixados rentabilizavam por volta de 1% ao mês. Com o cenário de aprovação das reformas estruturais e manutenção do controle inflacionário, é bem possível que aquele patamar de rentabilidade em ativos de renda fixa não volte a se repetir no Brasil. Dessa maneira, para terem rentabilidades maiores, os investidores terão que adicionar ativos mais arrojados em suas cestas de investimentos e tais ativos pode ser a chamada renda variável, sobretudo, ações ou fundos de investimentos em ações.

No entanto, antes do investidor decidir aplicar em renda variável, o mesmo precisa saber se possui o perfil de risco para isso e a disponibilidade de capital para um investimento no longo prazo. Pois renda variável são investimentos agressivos, que sofrem altas oscilações e precisam de tempo para mostrar consistência em seus resultados. Lembrando que o correto, para a maioria dos investidores que decidam aplicar em renda variável, é ter uma cesta de investimentos diversificada e parte dela ser alocada em ativos de renda variável.

O que são investimentos de renda variável?

Os investimentos de renda variável, como o próprio nome já menciona, são aqueles em que não se sabe o quanto serão seus retornos no final da aplicação. Comumente sofrem maiores oscilações do que os investimentos de renda fixa, porém tendem a performar melhor ao longo do tempo. A rentabilidade dos Investimentos de renda variável depende de diversos fatores: cenário econômico nacional e internacional, cenário político, ou até mesmo das situações especificas de um único mercado ou empresa: tudo dependerá de qual mercado o ativo pertence.

Dois dos investimentos de renda variável mais utilizados pelos investidores brasileiros são as ações e os fundos de investimentos em ações. Ações representam uma fração do patrimônio líquido de uma empresa e podem ser negociadas em Bolsa de Valores. Esse tipo de ativo sofre oscilações, tanto positivas quanto negativas, devido ao cenário macroeconômico em geral e de fatores específicos da própria empresa, tais como: gestão, mercado de seu produto ou serviços, fatores jurídicos que podem afetar especificamente as atividades da empresa, entre outros.

Os fundos de investimentos em ações são condomínios que unem, sob um regulamento, diversos cotistas, onde o gestor do fundo realiza as escolhas de quais ativos farão parte da cesta de investimentos do fundo. A escolha desses ativos será de acordo com a política de investimentos definida no regulamento do fundo. Os benefícios de entrar em um fundo de ações, em vez de adquirir ações diretamente, são: exigência de um capital menor para ter uma cesta de ações diversificada e ter seus recursos geridos por uma equipe profissional de mercado, sem se preocupar em empenhar tempo no estudo de quais ações investir. Porém, a desvantagem é a não possibilidade de o investidor escolher quais ações estarão dentro de sua cesta de investimentos.

Qual o cenário de Valorização dos Investimentos em Renda variável?

Com a definição das eleições para Presidente, as atenções dos investidores se voltam para a capacidade do novo governo em aprovar as reformas estruturais que a economia brasileira precisa para acelerar o seu crescimento. Durante a campanha eleitoral e no período pós-eleitoral, o discurso da equipe econômica do novo governo é de empenho para aprovar tais reformas. Dessa maneira, com o apoio popular que toda eleição trás ao vencedor e a postura da equipe do presidente eleito de usar tal popularidade para aprovar as reformas, investidores veem possível a aprovação das mesmas.

Somente com o discurso do presidente eleito, os principais índices que medem a confiança da economia, avançaram nos meses de setembro a novembro. O principal Índice da Bolsa de Valores brasileira – o Ibovespa – avançou pelo terceiro mês seguido e acumulou ganhos entre os meses de setembro a novembro em torno de 16,73%. As principais instituições financeiras que divulgam projeções sobre valorização do índice Ibovespa, trabalham que até o fim de 2019 ele pode atingir os 125 Mil pontos.

Dessa forma, se de fato o cenário de valorização dos ativos negociados em Bolsa de Valores ocorrer, investimentos em ações ou fundos de ações tendem a ser muito rentáveis. Muito superior à rentabilidade dos ativos atrelados a taxa Selic ou CDI.

Como devo escolher os ativos de renda variável e qual à proporção que eles devem possuir em minha cesta de Investimentos?

Se você já sabe qual seu perfil de risco, que possui horizonte de resgate da aplicação para longo prazo e está confiante no cenário de valorização dos ativos de renda variável para poder diversificar parte de seus investimentos nesses, recomendamos que procure ajuda de um profissional especializado em investimentos para auxiliar melhor na escolha de quais ativos irão compor a sua cesta. O profissional especializado em investimentos irá definir a proporção e a combinação de quais ativos em renda variável irão compor a cesta do investidor. Assim, você conseguirá a melhor rentabilidade que o mercado pode oferecer para o perfil de risco, horizonte de tempo e cenário econômico desenhado.

E claro, se não quiser se preocupar em planejar sua carteira de investimentos, se cadastre aqui no Patrimoney!

Deixe um comentário