Quais investimentos tendem a valorizar com a possível aceleração da economia brasileira?

Blog---Art-10---Quais-investimentos-tendem-a-valorizar-com-a-possível-aceleração-da-economia-brasileirablog-grande
Cenário Econômico atual:

Com o fim da eleição presidencial, os principais índices da economia brasileira, após um período marcado por turbulências tanto no cenário externo quanto no interno, assumiram uma trajetória positiva, já que o Presidente da República Eleito, Jair Bolsonaro, sinalizou ao mercado uma agenda econômica de reformas (até fizemos um webinar sobre o assunto, só clicar aqui). No mês de outubro, a bolsa brasileira valorizou por volta de 11%; o dólar teve uma queda em torno de 7%; e os índices de confiança, medidos pela FGV, que avaliam as expectativas dos consumidores e de setores da economia como o comercio, serviços e a indústria civil, também avançaram.

Caso o governo Bolsonaro realmente se empenhe em uma agenda reformista e consiga aprová-la no congresso, a tendência é de que o crescimento da economia brasileira se acelere tanto em função da melhora do ambiente econômico como em função da redução de entraves burocráticos. Isso refletirá diretamente nos preços dos ativos financeiros, ou seja, dos seus investimentos. Mas quais investimentos tendem a valorizar nesse ambiente? Ações, Fundos de Investimentos Multimercados com exposição em Bolsa, Fundos de Investimentos em Ações, Renda Fixa Pós Fixada ou mesmo COEs.

Investimentos em ações:

Com a tendência de recuperação da economia, o ambiente de negócios melhorará e isso trará o aumento do investimento, do consumo das famílias, dos índices de confiança e da procura por crédito. Assim, ações de empresas voltadas para o mercado interno serão beneficiadas: varejo, construção civil, infraestrutura e setor financeiro. As principais instituições financeiras do país trabalham, em um cenário otimista de valorização, o índice Ibovespa em 90 mil pontos no final de 2018 ante 77.891 pontos no primeiro dia útil deste ano. Isto é, uma valorização em torno 16 %. Já para o ano de 2019, é previsto que o índice Ibovespa esteja em 125 mil pontos, o que significa uma valorização por volta de 39 %.

Fundos de Ações:

Para os investidores que não possuem conhecimento ou tempo para fazer a gestão de seu próprio portfólio de ações, existe a possibilidade dos mesmos investirem em cotas de fundos de ações. Além de otimizar o seu tempo, o investidor passa a contar com uma gestão profissional e experiente para seus recursos. Outro benefício do fundo de ações é a possibilidade do investidor, com valores menores de aplicações, conseguir ter acesso a um portfólio diversificado. Isso sem falar na facilidade de declaração do imposto de renda, que é extremamente fácil no caso dos fundos!

Fundos Multimercados:

Fundos Multimercados, como o próprio nome já menciona, são fundos que investem em diversos mercados financeiros e, de acordo com o regulamento do fundo, podem ter mais ou menos exposições a determinados mercados (bolsa de valores, câmbio, ativos imobiliários, renda fixa, setor externo, entre outros). Fundos Multimercados com exposições de ações teriam a vantagem de aproveitar o cenário de valorização da bolsa de valores. Dessa forma, o investidor é beneficiado pela gestão profissional dos ativos, otimização de seu tempo e pela diversificação de ativos em mercados diferentes. A dificuldade aqui é saber quais fundos estão alocados em ações, já que eles têm liberdade para mudar essa alocação a qualquer momento.

Renda Fixa Pós – Fixada:

Apesar do cenário de juros da Selic baixos, atualmente em torno de 6,5% ao ano, a expectativa é de elevação para 2019. Investimentos pós-fixados no CDI seriam interessantes por dois motivos: ainda rentabilizariam acima da poupança e acompanhariam os juros básicos da economia, independente do patamar da Selic. Assim, se houver uma alta na taxa Selic, os investimentos em renda fixa (pós-fixada) irão acompanhá-la. Além disso, normalmente esses investimentos tendem a ter maior liquidez, podendo ser utilizados em caso de emergências ou de oportunidades.

Quais categorias de investimentos pós-fixados seriam interessantes? Fundos DI, Fundos de Crédito Privado, Tesouro Selic e CDBs ou LCI/LCAs com prazo de carência baixo. Nas principais distribuidoras de investimentos do país é possível encontrar fundos DI ou de Crédito Privado com rentabilidade entre 100 % a 110 % do CDI, com liquidez em torno de um dia útil. Também é possível encontrar CDBs de liquidez diária que rentabilizam 100% do CDI e LCI/LCAs que rentabilizam entre 85% a 90% do CDI, com prazo de carência mínimo para resgate em 90 dias.

COEs:

Neste tipo de investimentos existe a possibilidade de o investidor ter rentabilidades elevadas da renda variável e ter o seu capital protegido. Como o cenário é de expectativa de crescimento da economia, tal expectativa pode não ocorrer, assim o COE garantiria o capital do investidor em caso de reversão de tendência. Mas em caso de fortes ganhos, o investidor se beneficiaria de parte dessa alta. Nas principais distribuidoras de investimentos do País, é possível encontrar COEs referenciados nos índices da bolsa de valores brasileira ou em ações das principais empresas do Brasil. Bem como COEs referenciados em índices da economia internacional, para os investidores que querem diversificação de seus investimentos em mercados fora do Brasil.

Como devo escolher quais investimentos irão compor o meu portfólio?

Ao fazer as escolhas dos investimentos para compor o seu portfólio é importante que você procure a ajuda de um consultor de investimentos. O consultor saberá recomendar os investimentos com maiores possibilidades de ganho, de acordo com o cenário econômico, conforme seu perfil de risco e necessidade de liquidez.

Leave a comment