Aplicações rentáveis e seguras para começar a investir agora

aplicacoes-rentaveis-grande

Está pensando em investir mas não sabe por onde começar? Não se preocupe, aplicações não são o bicho de sete cabeças que muitas pessoas imaginam. Elas podem ser muito simples e rentáveis, basta conhecer o investimento certo para o seu perfil.

Em primeiro lugar, é necessário entender que “rentável” pode ter significados diferentes para cada tipo de investidor. Pessoas mais conservadoras podem considerar rentável um investimento que um investidor mais agressivo pode considerar ruim.

Desta forma, ao escolher onde vai investir seu dinheiro é importante levar os seguintes fatores em consideração:

– Seu perfil como investidor

– Quanto quer investir

– Qual sua tolerância para eventuais perdas

– Prazo estimado da aplicação

– Se pode haver necessidade de resgate antes do prazo

Mas para que você comece sem medo e tire de uma vez seu dinheiro da poupança, separamos aqui os principais investimentos de renda fixa, ou seja, baixo risco e alta rentabilidade.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto são os títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, um órgão do governo. Por isso, o investimento é considerado muito seguro. Além de confiável, a aplicação é muito acessível: a partir de R$ 30 já dá para se tornar um investidor dos títulos públicos.

O Tesouro Direto tem liquidez diária, ou seja, o dinheiro pode ser resgatado quando quiser. Mas atenção, existem três tipos diferentes de títulos: Tesouro Prefixado são aqueles que têm rentabilidade já definida, ou seja, você sabe exatamente quanto receberá no futuro; Tesouro Selic são aqueles onde a rentabilidade seguirá a taxa Selic, isto é, se os juros subirem você ganha mais, se caírem você ganha menos; e Tesouro IPCA, no qual você ganha a inflação mais uma taxa de juros.

Apesar das três alternativas serem interessantes, a diferença de rentabilidade pode ser gigantesca! É realmente indicado procurar orientação sobre qual tipo de título comprar em cada situação.

Além da questão da escolha do título, esse investimento está sujeito a tributação do Imposto de Renda que você deverá recolher em DARF. Se esquecer de pagar ou se calcular o imposto errado, pode te dar dor-de-cabeça depois.

LCI – Letra de Crédito Imobiliário

Investir em LCI significa emprestar dinheiro a uma instituição financeira ou corretora, para ser usado em crédito imobiliário. A LCI é isenta de Imposto de Renda, além de contar com a cobertura do FGC (Fundo de Garantia de Crédito). Isso significa que aplicando até R$ 250 mil, o investidor tem a garantia de que se a instituição falir, o dinheiro investido não se perde.

Em algumas instituições, é possível aplicar em LCI a partir de R$ 100,00 e o resgate pode ser feito a partir de 90 dias.

O desafio aqui é encontrar LCIs que ofereçam rentabilidade interessante. Novamente, é indicado contar com a ajuda de um consultor ou de uma corretora para acompanhar os preços e as oportunidades.

LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

Geralmente, a escolha entre um ou outro vai depender da taxa de rendimento, prazo de aplicação e aporte inicial do investidor.

Muito similar à LCI, a LCA também é um título emitido por bancos ou corretoras, mas neste caso para financiar as atividades do setor do agronegócio. Ele também é isento de Imposto de Renda e tem um período de carência para o resgate do dinheiro.

CDB – Certificado de Depósito Bancário

O CDB é um título de renda fixa emitido pelos bancos, com objetivo de financiar suas atividades. Ou seja, ele funciona como um “empréstimo” do investidor para a instituição financeira. Em troca, o dinheiro retorna com juros.

O rendimento do CDB está entre os melhores de renda fixa, além de contar também com a cobertura do FGC (Fundo de Garantia de Crédito).

Aqui temos a mesma dificuldade do Tesouro Direto, ou seja, escolher se vamos investir num CDB prefixado, ligado à taxa Selic ou à inflação. Nesta modalidade, existe também a cobrança do Imposto de Renda, que varia de acordo com o prazo da aplicação.

Fundos de Investimento

Dentro da categoria de fundos de investimento, há opções que equivalem a todas as alternativas listadas acima, mas os nomes têm mais a ver com a forma de correção, por exemplo: fundos DI são aqueles que tendem a seguir a rentabilidade da taxa Selic, os fundos Renda Fixa são os que podem seguir as taxas de juros prefixadas e os fundos de inflação seguem os papéis atrelados ao IPCA.

A diferença dos Fundos é que eles cobram uma taxa de administração, mas também prestam alguns serviços importantes: procuram os títulos no mercado para você, decidem quais os melhores títulos para comprar… e ainda recolhem o imposto de renda automaticamente para você! Em função de todas essas facilidades é que os fundos geralmente são as melhores opções para quem quer começar.

Antes de terminar o ano, que tal fazer seu dinheiro render? O Patrimoney está aí para te ajudar! Vamos escolher juntos o melhor investimento para você começar 2019 tirando os projetos do papel.

Leave a comment